SOLUÇÕES EM TRABALHO EM ALTURA E ESPAÇOS CONFINADOS

| Quem Somos

Somos uma empresa especialista em soluções para trabalhos em alturas e espaços confinados, que trabalha principalmente com projetos e instalações voltados para a proteção contra queda.

Ofertamos serviços de projeto, instalação e inspeção de sistemas de ancoragem, linhas de vida, guarda-corpos, plataformas e outras estruturas.

Nosso trabalho é elaborado de acordo com a necessidade de cada cliente e sempre levando em consideração a fabricação, instalação, comercialização, uso e manutenção. Na SIMÕES, você conta também com treinamentos e comércio de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

Entre em contato conosco, aguardamos sua visita!

PARCEIROS:

| Projetos para Sistemas de Ancoragem

Conte com nossa equipe de técnicos e engenheiros para realizar seu projeto e adequar sua empresa às normas NR35 e NR33.

Você sabe a importância do sistema de ancoragem?

No Anexo II da NR 35, o sistema de ancoragem é definido como um "conjunto de componentes que incorpora um ou mais pontos de ancoragem, aos quais podem ser conectados Equipamentos de Proteção Individual (EPI) contra quedas, diretamente ou por meio de outro componente".
Quem exerce trabalho em altura sabe o quanto o sistema de ancoragem é imprescindível para a segurança laboral. Ele sustenta o trabalhador em um ponto fixo da edificação e, assim, delimita seu posicionamento, coordena suas movimentações e o protege contra quedas.

De acordo com a Norma Regulamentadora (NR) 35 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), "considera-se trabalho em altura toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde haja risco de queda".
Diante de tal risco, planejamento do sistema de ancoragem é essencial para o desempenho das atividades nessas condições.
Tais dispositivos são ligados ao cinturão paraquedista por meio de talabartes ou trava-quedas e têm a finalidade de manter a segurança do trabalhador em uma eventual queda.
Investir no material correto, mais indicado para cada tipo de operação e instalação, de procedência confiável e de boa qualidade, facilita a movimentação do empregado e fornece a segurança necessária para a realização de suas tarefas.

Conte conosco, caso seja sua necessidade!

A Simões oferece também os serviços de inspeção periódica de sistemas de ancoragem.

Trabalho em espaço confinado - NR33

Trabalho em espaço confinado - NR33

A norma NBR 16577 (Espaço confinado: prevenção de acidentes, procedimentos e medidas de proteção) determina requisitos para identificar e caracterizar espaços confinados e exigências para implantar um sistema de gestão que garanta a segurança dos trabalhadores em contato com esses locais. Segundo esta norma, espaços confinados são áreas não projetadas para ocupação humana contínua, que possuem condições limitadas de acesso e de saída, cuja ventilação é ruim ou inexistente e ainda exista deficiência ou alto nível de oxigênio. A NBR 16577, junto da Norma Regulamentadora 33 (Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados), são importantes fontes de informação.
Para esse tipo de trabalho é essencial utilizar equipamentos de proteção obrigatórios para controle de risco, tais como cintos de segurança, tripés, guincho resgatador, trava-quedas.
Ofertamos Programa de Gestão em Espaços Confinados e também Treinamento da NR33.

| Linhas de Vida

Fundamental para quem realiza trabalhos em altura. Após não ser possível tomar medidas que eliminem o trabalho em altura ou utilizar equipamentos de proteção coletiva, a linha de vida é um equipamento que proporciona segurança e minimiza quedas e acidentes.

| Consultoria

Nossa equipe realiza consultoria derecionada a Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) e Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Nossos técnicos realizam junto ao cliente a análise de suas necessidades nos quesitos de segurança.

Consultoria
Consultoria

| Produtos

Contamos com uma linha de produtos que vai desde a comercialização de linha de vida, suportes, escadas e guarda-corpos até a venda de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).
Também fabricamos e projetamos linhas de vida, suportes, plataformas, escadas e guarda-corpos.

Escadas, plataformas e Guarda-Corpos

Projetamos escadas marinheiro, plataformas e guarda-corpos conforme as normas vigentes. Em nossos projeto estudamos criteriosamente a localização e características destes itens para que, junto com as linhas de vida e pontos de ancoragem, formem um conjunto integral de proteção contra quedas.

  • Escadas marinheiro são utlizadas para transpor diferenças de altura, desde pequenas platibandas em telhados até grandes torres de telefonia, rádio e TV. De acordo com as suas características, especialmente a altura a ser transposta, podem conter gaiolas de proteção, linhas de vida e plataformas intermediárias para descanso.
  • Plataformas são destinadas a passagem ou à permanência de trabalhadores durante a realização de trabalhos, sendo instaladas nos mais variados locais, como silos, elevadores, carregamentos de caminhões, tanques e reservatórios, instalações industriais e telhados sujeitos a trânsito frequente.
  • Guarda-corpos constitutem barreiras periféricas contra a queda de trabalhadores (e objetos, quando dotados de rodapé), além de servirem de corrimão para deslocamentos em plataformas. Usualmente são empregados em adequações de estruturas, equipamentos e edificações já existentes cujo projeto original não contemplou a prevenção de quedas.

| Instalação e Treinamentos

Nossa equipe é especializada na instalação de linhas de vida e sistemas de resgate, com instaladores qualificados e autorizados MSA e BONIER EQUIPAMENTOS. Oferecemos treinamentos teóricos e práticos para que seus colaboradores tornem-se capacitados e se reciclem na área de Segurança do Trabalho.

NR 05 CIPA


Comissão Interna De Prevenção de Acidentes

NR 06 - EPI


Equipamentos de Proteção Individual

NR 11


Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais

RT 14


Treinamento de Prevenção e Combate a Incêndios

NR 18


Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - Admissional, Operador de Máquinas (serra, guincho, betoneira)

NR 23


Proteção Contra Incêndios

NR 33


Segurança e Saúde nas Atividades em Espaços Confinados - Supervisor de Entrada, Trabalhador e Vigia, Reciclagem

NR 35


Trabalho em Altura - Trabalhador Autorizado, Supervisor de Trabalho em Altura, Formação de Equipes de Resgate, Resgate Industrial Avançado

NBR 14.276


Brigada de Incêndio
Nivel básico, intermediário e avançado

| EPI

Possuímos loja própria e uma linha completa com mais de 1000 itens em Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

Aqui você encontra as melhores marcas e produtos de primeira linha, que contam com o Certificado de Registro de Fabricante e o Certificado de Aprovação Nacional - CA, estando de acordo com as normas nacionais e internacionais de qualidade.

OFERTAS

  • Blusas Prolife Proteção Ao Sol Uv Upf50+
  • Camping e Lazer
  • Cremes/Protetor Solar/Sabonetes
  • Proteção Facial
  • Capacetes
  • Protetor Auditivo
  • Altura/Espaço Confinado
  • Uniformes
  • Impermeáveis
  • Sinalização
  • Óculos
  • Calçados
  • Respiradores
  • Luvas
  • Outros

| Blog

EPIs na construção civil: qual a sua importância?

O uso dos EPIs nas atividades laborais podem minimizar e até evitar lesões graves em caso de acidentes, no caso dos trabalhadores da construção civil, o objetivo é reduzir a exposição dos funcionários a riscos, que podem ser desde pisos molhados a detritos em queda, por exemplo.

O EPI inclui itens como: capacetes de proteção, proteções para face e olhos, roupas de alta visibilidade, calçados de segurança, cintos de segurança e, às vezes, equipamentos de proteção respiratória.

Hoje vamos apresentar alguns equipamentos de proteção individual que são comumente usados nos canteiros de obras e quais são os seus benefícios.

Confira:

1.   Proteção de cabeça:

Capacete é um item obrigatório em todas as obras, alguns estão acoplados a outros equipamentos como protetores auriculares e faciais etc.

Um aspecto importante é o ajuste da carneira interna, pois em caso de acidentes é fundamental que o capacete não venha a cair da cabeça, principalmente quando houver queda de objetos.

A proteção para os olhos e o rosto é tão importante quanto a proteção para a cabeça. Todas as operações de trabalhos em metal, madeira, trabalho a quente e ferramentas pneumáticas requerem esse tipo de proteção. Os trabalhadores em geral também podem se beneficiar dos óculos de segurança, pois geralmente há detritos nos canteiros de obras.

2.   Proteção respiratória:

A proteção respiratória é vital em locais onde estão presentes substâncias tóxicas, por isso, os respiradores, foram projetados para proteger contra poeira, fumaça, spray de tinta, pesticidas e outras substâncias que podem causar danos permanentes. A proteção respiratória deve ser usada em ambientes com contaminantes no ar ou quando o local não oferece ventilação adequada.

3.   Proteção das mãos e da pele:

Você sabia que a cada ano, cerca de 150.000 lesões nas mãos são relatadas? As doenças de pele ocupacional, como dermatite de contato, câncer de pele e outras lesões e infecções de pele são o segundo tipo mais comum de doença ocupacional.

Na construção civil, assim como em vários outros setores, o trabalho manual é essencial, portanto o uso das luvas é indispensável.  Alguns exemplos de luvas comumente usadas como EPI incluem luvas de borracha, luvas resistentes a cortes, luvas para serra elétrica e luvas resistentes ao calor.

O uso de luvas ajuda a evitar riscos geralmente envolvidos ao trabalhar com produtos químicos, vidro, chapa, eletricidade, materiais quentes ou objetos escorregadios.

4.   Proteção auditiva:

O ruído industrial é um risco ocupacional não visível. No entanto, a maioria dos trabalhadores são expostos a níveis de ruído potencialmente prejudiciais. Segundo o Instituto Nacional de Segurança e Saúde Ocupacional, cerca de 82% dos casos de perda auditiva ocupacional ocorreram para trabalhadores do setor de manufatura.

O NIOSH recomenda que a exposição do trabalhador ao ruído seja reduzida a um nível equivalente a 85 dBA por oito horas para reduzir a perda auditiva induzida por ruído ocupacional. Tampões para os ouvidos e protetores de ouvido são ferramentas comuns de proteção auditiva.

Aqueles protetores em formato concha são os mais eficazes na redução de ruído de alta frequência, já os tipo plug são indicados para a redução de ruído de baixa frequência.

O uso dos equipamentos de proteção individual é vital para o bem-estar dos trabalhadores e, em muitas vezes, pode salvar vidas. Se você possui empresa ou é colaborador, não esqueça de estar sempre atento ao uso dos EPIs e a manutenção dos mesmos. A segurança é importante e a compreensão desses vários dispositivos de proteção pode ajudar a evitar ferimentos graves.

Confira nossa sessão de produtos de EPIs.

OS 5 PRINCIPAIS TIPOS DE ACIDENTES EM ALTURA E COMO EVITÁ-LOS

Acidentes em alturas sa~o potencialmente perigosos devido aos efeitos severos principalmente de quedas por ma´ atenc¸a~o, defeito em equipamentos e vistoria completa antes do trabalho. Por isso, preparamos uma lista dos riscos e dicas importantes para o trabalho em altura.

1 - Quedas de altura

Parece simples, mas os colaboradores caem de grandes alturas com grande freque^ncia e justamente por isso as quedas esta~o nas listas de maiores causas de morte no trabalho. A principal causa e´ basicamente o descuido. A ma´ vistoria dos equipamentos previamente ao trabalho pode salvar a vida do colaborador, assim como a atenc¸a~o triplicada em altura. E´ importante alertar que essa forma de acidente esta´ ligada com maior i´ndice de mortes, pois geralmente e´ relacionada a grandes altitudes e quedas acima de 25 metros no concreto tem praticamente 100% de taxa de mortalidade. Portanto sempre verifique os equipamentos e mantenha atenc¸a~o redobrada nas alturas.

DICA DE EQUIPAMENTO:

Use corretamente o trava-quedas, de forma que esteja firme e seguro assim como sua validade e qualidade. Sempre verifique o local de trabalho e sobre altitude evite o excesso de movimentos bruscos, pois estes podem desequilibrar e gerar acidentes.

2 - Choque contra objetos

Seus reflexos na~o podem sempre garantir a sua seguranc¸a. Objetos arremessados em sua direc¸a~o devido a mal funcionamento de ma´quinas, troca de ferramentas no ar em grande altitude e mesmo escape de uma ferramenta em direc¸a~o ao solo podem ser fatais. Isso ocorre pois o objeto ganha grande velocidade na descida e materiais e ferramentas ficam difi´ceis de se mensurar em dista^ncia quando se esta´ em altitudes grandes, pois se tem poucos pontos de refere^ncia visual. Portanto na~o arremesse ferramentas, verifique sua sau´de antes de subir em alturas e sempre siga as medidas de seguranc¸a a risca.

DICA DE EQUIPAMENTO:

Utilize sempre capacetes de protec¸a~o adequados e de qualidade, verifique a fixac¸a~o de objetos acima do seu local de trabalho e a qualidade das ma´quinas de pressa~o presentes onde voce^ estiver.

3 - Leso~es causadas por esforc¸o

Os trabalhadores esta~o acostumados a utilizar ferramentas por um grande peri´odo de tempo. Por conta disso, o corpo tende a acostumar a fazer um movimento de bater, puxar ou empurrar, tornando cada vez mais fa´cil a func¸a~o. O problema principal e´ justamente se acostumar, pois movimentos repetitivos podem causar danos permanentes se o trabalhador na~o notar as dores. Principalmente em grandes alturas, as leso~es sa~o mais graves pois podem causar quedas e ate´ mesmo a morte.

Dica de equipamento:

Verifique seu trava quedas. Em situac¸o~es de altura, caso seus mu´sculos pararem de funcionar, ele, em conjunto com os outros EPIs ira~o manter voce^ esta´vel em altura ate´ que a ajuda possa chegar. .

4 - Falha de atrito

Parece mentira mas e´ impressionante como os escorrego~es no cha~o, nas ma~os com ferramentas ou mesmo transportando maquina´rio podem ocasionar danos severos. Isso ocorre pois quando se manuseia objetos pesados e´ preciso muito atrito das ma~os para mante-lo fixo, qualquer li´quido, gel ou material escorregadio pode gerar efeitos irreversi´veis e danos fi´sicos graves. Portanto fique sempre atento as agarras de ferramentas e aos pisos e bases onde voce^ passa.

DICA DE EQUIPAMENTO:

Botas com adere^ncia testada, luvas com materiais especi´ficos para gerar atrito podem ser a diferenc¸a entre a vida e a morte. Invista em equipamentos de protec¸a~o de qualidade para sua empresa e sempre tome cuidado em dobro com materiais e ferramentas de grande peso.

5 - Improvisos

Sabemos que o improviso as vezes e´ mais que necessa´rio em situac¸o~es de trabalho. Diversas vezes voce^ chegou a uma altura muito grande mas esqueceu de uma ferramenta especi´fica e portanto tem que trabalhar com o que tiver. Mas na~o se engane, as gambiarras e improvisac¸o~es podem ser extremamente fatais para voce^. Uma ferramenta ou equipamento e´ desenvolvido para func¸o~es especi´ficas e forc¸a-lo(a) em outras atividades podem gerar riscos para sua vida. Sempre fac¸a vistoria dos equipamentos que ira´ levar para grandes alturas e se necessa´rio. na~o improvise, desc¸a e busque o que precisa, 10 ou 20 minutos a mais sempre valem pela sua vida.

DICA DE EQUIPAMENTO: Alguns cintos paraquedistas sa~o propi´cios para portar um nu´mero especi´fico de ferramentas. Dessa maneira voce^ tem as ma~os livres para trabalhar. Mas na~o exagere, eles na~o sa~o produzidos para levar caixas de ferramentas inteiras e na realidade sa~o feitos para portar partes do seu equipamentos de seguranc¸a para deixa´-lo com as ma~os livres ate´ o pro´ximo movimento.

Todas as medidas acima sa~o extremamente importantes para evitar acidentes, pois mesmo que voce^ confie no seu corpo e mente , na~o se pode apostar na vida, quedas de grandes altitudes ou mesmo muito peso podem ser fatais. Utilize os melhores equipamentos de protec¸a~o sempre e tome o dobro de cuidado no local de trabalho.

A Simo~es EPI se preocupa com a sua seguranc¸a e sempre vai trazer os melhores equipamentos de seguranc¸a para o seu ambiente. Cabe a voce^ investir em equipamentos de protec¸a~o fiscalizados, modernos e de qualidade para garantir a vida de todos e o bem da empresa.

3 DICAS SOBRE CALÇADOS PARA O TRABALHADOR

Todos os dias pisamos sobre nossos calçados para trabalhar, mas você já pensou nos perigos que você pode estar passando sem perceber? Confira! UM DESLIZE COMUM.

É comum que as empresas disponibilizem calçados específicos para os funcionários, principalmente quando se tratam de trabalhos de risco. Porém, seja por qual motivo for, pode ocorrer uma situação em que você não irá utilizar o calçado determinado para aquela tarefa e aí que mora o perigo. Calçados com aderência elevada são específicos para trabalhos em altura e superfícies escorregadias, se você utilizar um calçado sem esse reforço para o mesmo tipo de tarefa, primeiro estará pondo em risco a sua vida, escorregar de um lugar alto, bater braços, pernas ou mesmo a cabeça em um acidente comum. Em segundo lugar estará botando a vida dos seus colegas em risco, podendo escorregar e esbarrar em ferramentas e maquinário leve arremessando em direção a equipe ou deixando cair. Por isso, sempre utilize os calçados adequados, verifique a qualidade da aderência e jamais utilize calçados lisos para trabalhos como estes.

AGARRANDO AOS PÉS

A situação é mais comum do que parece: Você está em um trabalho rotineiro em altura, por conta de algum ocorrido anterior, seu calçado possui uma falha (rasgo, fio solto, cordão arrebentado, couro esfolado) e por conta disso um arame, ferro ou mesmo madeira se prende ao seu pé. A maioria das vezes o trabalhador consegue contornar a situação movimentando os pés para remover o objeto ou mesmo ir aos pés para retira-lo, mas o problema é quando o pior acontece. Digamos que esse arame ou ferro fazia parte de uma estrutura maior, um conjunto de arames ou cerca que você não havia notado e por conta disso puxa em um movimento rápido, arremessando toda a estrutura em direção ao chão. Nesse caso não só você pode ser prejudicado, mas toda sua equipe e pessoas abaixo que podem ser atingidas pelos objetos. Portanto sempre verifique o estado básico do seu calçado antes de iniciar esse tipo de trabalho, e invista sempre em calçados de qualidade para sua segurança e daqueles ao seu redor.

BOTA OU SANDÁLIA?

Os calçados de trabalho são fortes e geralmente são utilizados até que não se possa mais e isso não é problema. O principal perigo é justamente utilizá-los quando já não se deveria mais, quando seu estado já não é mais um problema estético e sim um risco para você e sua equipe. Se você tiver uma falha muito grande na parte de baixo do calçado pode pisar em pedras, vidro, pregos e muitos outros objetos que podem ocasionar movimentos involuntários, derrubar objetos e gerar um grande acidente. Uma falha na parte frontal pode calçar uma batida forte, arranhão ou mesmo uma queimadura por atrito em uma corda ou parede ocasionando os mesmos problemas citados acima. Dessa maneira, se você verificou que a bota já não pode mais ser utilizada, não insista em utilizá-la, isso pode ser um risco muito grande para você e sua equipe, além de ser completamente inútil já que grandes rasgos em botas praticamente inviabilizam o motivo de utilizá-las.

| Clientes

Dona Francisca Energética
Cereais Faxinalense
Colégio Marista Sant'ana
Cotribá
Cotrisul
CVI
Dimicron
Cotrijuc
Frigorifico Silva
Josapar
Marfrig
Raroz
Cambaí
Taboão Sementes
Grupo Verdes Vales
Vj Máquinas e Implementos Agropecuários

| Marcas

| Contato

Rua Sueli Gomes de Oliveira, nº 8070,
paralelo a BR 287, KM 244

(55) 3212.5764
(55) 3025.4411
(55) 3025.4468
(55) 99159.3088
(55) 99161.1763

atendimento@simoesepi.com.br